Após viagem a Nova Iorque, Rita Ferro Rodrigues escreve sobre a filha: "Já só há amor e cumplicidade"

((__lxGc__=window.__lxGc__||{‘s’:{},’b’:0})[‘s’][‘_216764’]=__lxGc__[‘s’][‘_216764’]||{‘b’:{}})[‘b’][‘_639647’]={‘i’:__lxGc__.b++}; ((__lxGc__=window.__lxGc__||{‘s’:{},’b’:0})[‘s’][‘_216764’]=__lxGc__[‘s’][‘_216764’]||{‘b’:{}})[‘b’][‘_639641’]={‘i’:__lxGc__.b++};

Rita Ferro Rodrigues escreveu um longo texto sobre a filha, e recordou o dia em que Leonor nasceu.

No seu último dia em Nova Iorque, Rita Ferro Rodrigues recorreu às redes sociais para partilhar um bonito texto

sobre a filha Leonor, de 19 anos, e que está a deixar os fãs emocionados.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Ela ainda está a dormir enquanto escrevo isto. Hoje termina a nossa aventura em NY. Seguimos para Lisboa e eu vou feliz , serena e cheia de saudades dos meus queridos rapazes. Mas esta mensagem é para ela, Leonor“, começou por dizer.

A minha primeira filha – não sei se ela terá total consciência de que quando nasceu me virou o mundo de cabeça para baixo e me fez ficar durante meses a tremer que nem varas verdes com medo de falhar, de não estar à altura da responsabilidade e amor que sentia por aquele ser minúsculo e totalmente dependente de mim“, acrescentou.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Rita Ferro Rodrigues recordou ainda o medo e felicidade que sentiu ao ter a filha nos braços, referindo que se sentia “um bebé com um bebé ao colo”.

Agora eu tenho 45 e ela 19 …e caraças! Que delícia esta circunstância de idades. Já só há amor e cumplicidade (e algumas turras) e sempre o mundo virado de cabeça para baixo mas agora as duas juntas (…) para o que der e vier“, garantiu.

A Leonor é reservada e muito ciosa da sua privacidade. Não escrevo muitas vezes sobre ela porque ela não gosta – e eu respeito isso. Hoje tem de ser. Ontem, enquanto caminhávamos no Central Park com o Sol de Inverno a aquecer -nos as bochechas ela: “Mãe, obrigada por isto. Foi a melhor viagem da minha vida. Nunca me vou esquecer““, recordou.

No final, destacou ainda a “felicidade imensa” e o amor que une agora Leonor à cidade.