Pedro Soá sobre Cristina Ferreira: "Criou uma fórmula de faturar com a legião de ‘patos’ frustrados pela sua vida"

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Pedro Soá recorreu às redes sociais esta segunda-feira, dia 23 de janeiro, para falar do sucesso de ‘Cristina Talks’, conferência organizada por Cristina Ferreira.

Pedro Soá não foi brando nas palavras ao comentar o sucesso de ‘Cristina Talks’. O ex-concorrente do ‘Big Brother 2020′ criticou os fãs da estrela da TVI e sublinhou que não tem ilusões e, por isso’, não vai ‘bajular’.

“No país dos populistas e fundamentalistas, o que interessa é escorraçar para fora de portas as pessoas que têm valor intrínseco. Não tenho nada contra a Cristina Ferreira nem a conheço, mas criou uma fórmula de faturar com a legião de ‘patos’ aglomerados que frustrados pela sua vida e falta de opções encontram o discurso que lhes permite utopicamente durante 1 hora sonhar com a vida perfeita em transe sincronizada”, começou por escrever.

“Também devo ser o único de todos os ex-concorrentes a ter 🍅 para dizer o que digo. Não tenho ilusões nem preciso de bajular e vender o meu sorriso amarelo como muitos fazem para adorar o ‘pastor’ do momento. Sinto é indignação por ver que os bons e os que têm valor não lhes são dadas opções e soluções para continuar no seu país (inclusive a minha própria companheira). Para depois vermos um povo a idolatrar e adorar ‘deuses’ com pés de barro”, acrescentou.

“É por isso que temos o país que merecemos. Mergulhado numa crise política sem precedentes em que ser governante corrupto faz parte do curriculum vitae enriquecido. E uma sociedade banalizada e endividada. São as pessoas que fazem o país e não os países que fazem as pessoas. Cada vez mais olho para Portugal como a ‘casa de banho’ da Europa… Um território fantástico com muita gente boa e capaz, mas cada vez mais a perder a sua identidade e a seguir falsos profetas”, disse ainda

“A Cristina Ferreira é só o cume do iceberg. Maior parte desta gente vive numa ‘matrix’. Desse valor e apoie-se quem merece. Pague-se devidamente a quem fez por isso a vida toda e cuidemos do nosso património que são as pessoas e profissionais que andamos a distribuir por este mundo fora. Nunca a expressão foi tão bem empregue. Foda-s* tudo tem um limite. Indignemo-nos”, rematou.