Jornalista aconselha Cristina Ferreira a aprender com Catarina Furtado: "Era bom"

((__lxGc__=window.__lxGc__||{‘s’:{},’b’:0})[‘s’][‘_216764’]=__lxGc__[‘s’][‘_216764’]||{‘b’:{}})[‘b’][‘_639647’]={‘i’:__lxGc__.b++}; ((__lxGc__=window.__lxGc__||{‘s’:{},’b’:0})[‘s’][‘_216764’]=__lxGc__[‘s’][‘_216764’]||{‘b’:{}})[‘b’][‘_639641’]={‘i’:__lxGc__.b++};

Cristina Ferreira continua no centro da polémica por causa do caso Bruno de Carvalho.

A última gala do ‘Big Brother’ ficou marcada por causa da alegada prática do crime de violência doméstica por parte de Bruno de Carvalho. Cristina Ferreira, na qualidade de apresentadora e diretora de Entretenimento e Ficção do canal, não deixa de fazer parte da polémica. Isto porque foi responsável pela sequência de acontecimentos que foram transmitidos.

Paulo Abreu, chefe de redação da revista TV Guia, aproveitou o espaço de comentário que lhe é destinado para lançar algumas questões à comunicadora. Entre elas, o motivo pelo qual Bruno de Carvalho não foi expulso diretamente pela produção. Depois, lembrou um texto assinado por Catarina Furtado.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Na minha opinião, a televisão tem a obrigação de impor limites quando os direitos humanos são violados. Já temos informação suficiente do que não pode ser permitido. O entretenimento oferece diferentes formatos que interessam a diferentes públicos, mas é obrigatório que nos tempos atuais respeitem valores. Não vale tudo pelas audiências“, eis as palavras da apresentadora da RTP1.

Era bom que Cristina, que tanto se indigna com a imprensa por tudo e por nada, tentasse perceber as palavras da sua colega da RTP e embaixadora da Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a População, ela que tem uma imagem e um percurso imaculados na vida“, disse Paulo Abreu.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});