Leonor Poeiras foi ameaçada de morte e estreou programa dois dias após a morte da mãe

((__lxGc__=window.__lxGc__||{‘s’:{},’b’:0})[‘s’][‘_216764’]=__lxGc__[‘s’][‘_216764’]||{‘b’:{}})[‘b’][‘_639647’]={‘i’:__lxGc__.b++}; ((__lxGc__=window.__lxGc__||{‘s’:{},’b’:0})[‘s’][‘_216764’]=__lxGc__[‘s’][‘_216764’]||{‘b’:{}})[‘b’][‘_639641’]={‘i’:__lxGc__.b++};

Leonor Poeiras exige um milhão de euros à TVI, após ter sido dispensada sem “fundamentação” ao fim de 17 anos na estação.

Leonor Poeiras colocou a TVI em tribunal, depois de ter sido despedida ao fim de 17 anos de casa. O julgamento, que deveria ter sido iniciado a 31 de janeiro, foi adiado por duas vezes, e só está previsto acontecer a 23 de junho.

Segundo a revista TV 7 Dias, o advogado da apresentadora, António Garcia Pereira revelou na Petição Inicial que Leonor “sempre pautou a sua atuação em defesa dos interesses e da salvaguarda da imagem da Ré (…) mesmo nas circunstâncias mais adversas”.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Entre 2008 e 2009, Leonor Poeiras substituiu várias vezes Júlia Pinheiro na condução do programa ‘As Tardes da Júlia’, e recebeu “uma ameaça de morte por parte de um espectador não satisfeito com a ausência de Júlia Pinheiro”.

Foram tomadas medidas para salvaguardar a segurança da comunicadora: “A produção do referido programa decidiu transportar a Assistente para as gravações e para sua casa durante uma semana, tarefa essa que ficou a cabo do diretor de produção do programa, Bruno Santos”.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

No entanto, este não foi o único momento difícil que a apresentadora atravessou na estação de Queluz de Baixo, uma vez que esta não se recusou a conduzir a estreia de ‘Rising Star – A Próxima Estrela’, no dia 27 de abril de 2014, tendo a sua mãe falecido apenas dois dias antes.